terça-feira, 22 de julho de 2014

Reganho de peso após gastroplastia.

TUDO SOBRE REGANHO DE PESO APOS A CIRURGIA BARIATRICA.
PLASMA DE ARGONIO.
Estudos revelaram que alguns pacientes que fazem a cirurgia bariátrica (gastroplastia) podem recuperar algum peso caso não sigam as recomendações nutricionais e atividade fisica frequente.
Por essa razao, nos ultimos anos tem se estudado metodos para REEMAGRECER pacientes operados.
Uma alternativa é a aplicação de Plasma de Argônio, uma espécie de raio laser. O objetivo desse procedimento é diminuir a anastomose, (região onde o alimento passa, que sai do estômago para o intestine), assim a saciedade do paciente e aumentada mesmo com pouca quantidade de alimentos.
Esse procedimento e realizado em habiente hospitalar, porem nao e uma cirurgia  - ele e realizado atraves de uma endoscopia.
O paciente permanence no hospital em torno de 1 hora e segue sua rotina do dia, ou seja, nao ha a necessidade de internacao. Esse procedimento e igual a uma endoscopia ( exame para detector doencas do estomago).
Os estudos mostram uma perda de até 100% do excesso de peso após a aplicação do Plasma de Argônio.
São realizadas no mínimo, 2 sessões, do PLASMA DE ARGONIO, com intervalos de seis a oito semanas entre cada uma delas. Alguns pacientes necessitam mais aplicacoes, porem em nossa experiencia 2 ate 3 aplicacoes o paciente consegue perder o peso que reganhou.
Apos a aplicacao do plasma de argonio o paciente realizara uma alimentacao liquida, pastosa e normal consecutivamente, isso tambem ajudara a perda de peso.
O acompanhamento nutricional deve ser diferente do anterior ( apos a cirurgia), ele deve conter alimentos que causam mais saciedade, assim o paciente nao volta a ganhar o peso. Os alimentos mais utilizados sao:
-       Leite e derivados
-       Carnes vermelhas e brancas
-       Ovos
-       Legumes e verduras
-       Frutas com casca.

A alimentacao deve ser elaborada por um nutricionista especialista em plasma de argonio e deve ser elaborada junto com o paciente, fazendo assim a reeducacao alimentar e nao apenas uma DIETA.  
PERGUNTAS FREQUENTES
O que é o procedimento de plasma de argônio?
É uma fulguração (cauterização) da anastomose Gastro-jejunal (entre o estômago reduzido e o intestino delgado) feita com o gás argônio. Promove a redução do diâmetro ( tamanho) da anastomose trazendo novamente a saciedade alimentar precoce .
Quantas sessões de argônio preciso fazer?
A maioria dos pacientes necessita de 2 sessões. Alguns pacientes podem fechar a sua anastomose com menos sessões (uma ou duas).
Como é o procedimento?
O procedimento é realizado por endoscopia, sob sedação leve, acompanhada pelo médico anestesiologista. Dura em média 10 minutos a primeira sessão e cerca de 5 minutos as sessões subsequentes. O procedimento é totalmente indolor, realizado ambulatorialmente (não precisa ficar internado), com alta cerca de 30 minutos após o término do mesmo. Indicado apenas em pacientes operados pela técnica do bypass gástrico (Fobi-Capella ou Wittgrove)
Pago por sessão?
Sim, porem o mais aconselhado e que o paciente pague por todo o tratamento, que inclui as sessões e acompanhamento médico-nutricional.
O plano de saúde cobre?
Infelizmente os planos não cobrem.
Preciso ficar internado?
Não. É um procedimento ambulatorial, o paciente permance em torno de 1 hora apos a endoscopia.
Como é a dor?
A maioria (cerca de 90% dos pacientes) não sentem absolutamente nada. Alguns poucos pacientes irão sentir uma queimação leve na “boca do estômago” e/ou sensação de gases. Essas sensacoes podem ser aliviadas com uma alimentacao adequada e analgesicos.
Vou tomar anestesia?
Não é anestesia geral, e sim uma sedação leve igual à de uma endoscopia habitual, com pronta recuperação do paciente ao término do procedimento e retorno das atividades.
Preciso fazer dieta?
Sim. A idéia da dieta não é perder peso, mas sim reduzir o desconforto após as sessões. Também, evita que os alimentos traumatizem essa área cauterizada e possa causar vômitos, sangramento e ulceras.
E depois que acabar a sessão do argônio preciso voltar ao médico?
O ideal é uma reavaliação antes de cada sessão.Mas e inevitavel o acompanhamento nutricional.
Quanto tempo depois da cirurgia bariátrica posso fazer o argônio?
Indica-se o argônio endoscópico após o reganho de 10% do peso mínimo após o bypass gástrico. Pode ser usado, também, para perda insuficiente de peso após a gastroplastia. Geralmente, indica-se após 24 meses da cirurgia bariátrica.
Tenho que fazer todo ano?
Não necessariamente. Após finalizar as sessões, sugerimos controle em 6 meses com nova endoscopia para reavaliação. Mas uma nova sessão nem sempre é necessária.
Quanto quilos vou perder nas sessões de argônio?
Isso é variável. O objetivo é uma nova perda de peso. Observamos perdas de mais de 80% do peso que foi readquirido. Mas isso é uma media e não uma regra.
Quantos quilos precisa engordar para que o argônio seja indicado?
Indicamos para ganho de 10% acima do peso mínimo alcançado após a gastroplastia.
Preciso fazer algum exame antes do procedimento? Sangue? Endoscopia?  Raio x?
Exames laboratoriais (sangue), endoscopia e avaliacao com nutricionista e BIOIMPEDANCIA ( exame que mede o gasto calorico por dia)
A Saída do meu estômago pode fechar muito?
Sim. Cerca de 5% dos pacientes desenvolvem uma cicatrização mais intensa e tem um estreitamento maior. Neste caso, pode ser preciso dilatar a anastomose.
Tomo vitaminas (em comprimido), posso continuar tomando nos dias do procedimento onde tenho que fazer a dieta líquida?
Sim. Mas devem ser trituradas na fase liquida ou mudra por um tempo para pastilhas – indico o BARIATRIC FUSION.
O que pode ocorrer com quem não faz a dieta depois do procedimento de argônio?
Pode ter sangramento, dor, entalar e perder menos peso que o programado.
Tem como fazer argônio sem tirar o anel?
O anel só é retirado se ele estiver erosado, ou seja, dentro do seu estômago.
Quanto tempo posso retorna as atividades físicas? ( trabalho e academia)
 Retorno às atividade laborais no dia seguinte e retorno as atividades físicas em 1-2 dias. Claro que depende de cada paciente e o quanto de dieta consegue ingerir.
 Como é o processo de emagrecimento com o argônio?
 As sessões que mais perdem peso são a segunda e a terceira devido ao maior estreitamento da saída do estomago. Lembramos também que atividade física pode ser iniciada já no dia seguinte, bem como o trabalho, normalmente. Claro que se o paciente seguir as orientacoes nutricionais a perda de peso sera mais rapida.
Sou de outra cidade onde faço argônio, há necessidade de pernoitar na cidade que fiz o argônio? Posso dirigir?
 Podem retornar para casa, mas com um acompanhante para dirigir e auxiliar o paciente. Não precisa dormir na cidade do procedimento, pois ele é simples e feito sempre pela manhã.
Com quanto tempo depois da cirurgia bariátrica o peso estabiliza?
 Em média com 18 meses.
Durante o procedimento pode acontecer algum problema que leve o paciente a óbito?
 Durante o argônio, não.
Após o argônio o peso estabiliza depois de quanto tempo? ou a pessoa só perde peso no intervalo das sessões e enquanto durar a cicatrização?
Perde peso durante as sessões e mantém o peso enquanto a anastomose permanecer reduzida.  Um controle atraves de uma endoscopia ou retornos com o nutricionista em 6 meses ajuda a verificar isso e ver necessidade de complementação.
O plasma de argônio é indicado apenas em pacientes operados pela técnica do bypass gástrico. Quem fez sleeve gástrico não pode optar por essa técnica?
 Só para bypass. Nas demais, não temos anastomose entre o estômago e intestino. No Sleeve só mexe no estômago e no Duodenal Switch a anastomose é duodeno-jejunal.Porem  para essas tecnicas o paciente pode realizer o STOMAPHIX.
Quantos quilos precisa engordar para que o argônio seja indicado?
 Indicamos para ganho de 10% acima do peso mínimo alcançado após a gastroplastia.
A indicação inicial do argônio é um reganho de 10% do peso mínimo alcançado com dilatação da anastomose para maior ou igual a 20 mm. Mas como é uma técnica nova, estas indicações ainda estão sendo avaliadas.. Pode por exemplo ser usada em pessoas que ficaram com a anastomose um pouco mais alargada e não alcançaram o objetivo inicial da bariátrica (perda de peso insuficiente), ou ate mesmo profilaticamente, em pessoas que não engordaram, mas que a endoscopia já mostra uma dilatação importante da cirurgia, para justamente evitar que ela volte a engordar. Cada caso é um caso…
Há contra indicacao, quais? 
 Não existe contra-indicação absoluta. Não indicamos se a anastomose ou o anel já são justos.
Quantos quilos se perde com o argônio?
 Depende de cada paciente. Cerca de 90% do peso readquirido.


AGENDE UMA AVALIACAO COM UM NUTRICIONISTA EXPERIENTE, FACA A BIOIMPEDANCIA, EM ALGUNS CASOS O REGANHO DE PESO NAO ESTA RELACIONADO APENAS COM O QUANTO E INGERIDO DE COMIDA.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Receitas para cirurgia bariatrica e balão gástrico.




Caldo Verde para cirurgia bariatrica e balão gástrico. 


Ingredientes:

Água para cobrir os ingredientes
300g patinho cortados em cubos
3 folha de couve
1 chuchu
2 xicaras de chá de espinafre picados
2 mandioquinha
10 vagens
1 maço de agrião

2 xícaras de brócolis picado.
½ cebola picada
Cheiro verde a gosto
1 col.(sopa) Azeite
Sal a gosto


Modo de preparo:

Em uma panela refogue a cebola no azeite, acrescente a  carne deixe fritar por um período 10 minutos. Colocar todos os legumes e verduras para cozinhar, tempero e cheiro verde a gosto. Tomar somente o caldo peneirado.


www.gabrielcaironunes.com.br


Receitas Bariatrica




Receitas para pacientes de balão gástrico e cirurgia bariatrica - Caldo Verde




Ingredientes:



Água para cobrir os ingredientes
300g patinho cortados em cubos
3 folha de couve
1 chuchu
2 xicaras de chá de espinafre picados
2 mandioquinha
10 vagens
1 maço de agrião

2 xícaras de brócolis picado.
½ cebola picada
Cheiro verde a gosto
1 col.(sopa) Azeite
Sal a gosto

Modo de preparo:

Em uma panela refogue a cebola no azeite, acrescente a  carne deixe fritar por um período 10 minutos. Colocar todos os legumes e verduras para cozinhar, tempero e cheiro verde a gosto. Tomar somente o caldo peneirado.


www.gabrielcaironunes.com.br


terça-feira, 1 de julho de 2014

Tratamentos para obesidade.






OBESIDADE E EXCESSO DE PESO.

No mundo há 1 bilhão de pessoas com sobrepeso e 300 milhões destes já se tornaram obesos.
Isto significa que quando saímos à rua, cada 10 pessoas que vimos 6 sofrem de sobrepeso ou estão obesos. O mais impressionante é que este numero está aumentando e muito brevemente passará de 6 em 10 para 7 em 10 pessoas sofrendo deste problema.
O QUE É OBESIDADE?
A obesidade é definida pela quantidade ou acumulo de gordura em excesso no organismo, populacionalmente representada pelo IMC ( indice de massa coporal) - O índice aceito universalmente para a classificação da obesidade é o de massa corpórea (IMC), e é expresso pelo peso em quilogramas do indivíduo dividido pelo quadrado da altura em metros. Tem como inconveniente não distinguir a massa gorda da magra, porém foi adotado em 1997 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o índice de referência de medida para a obesidade. A OMS divide a obesidade em três níveis:
   grau I com IMC entre 30 e 34,9 Kg/m2
   grau II entre 35 e 39,9 Kg/m2
   grau III ou obesidade mórbida com IMC acima de 40 Kg/m2

A classificação aceita pela Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e pela Federação Internacional de Cirurgia da Obesidade divide a obesidade em seis níveis: obesidade pequena (27 a 30 Kg/m2), obesidade moderada (30 a 35 Kg/m2), obesidade grave (35 a 40 Kg/m2), obesidade mórbida (40 a 50 Kg/m2), superobesidade (50 a 60 Kg/m2) e super-superobesidade (maior de 60 Kg/m2).
QUAL A CAUSA DA OBESIDADE?
A obesidade é considerada uma doença epidêmica na América do Norte e em vários países do mundo, destacando-se como um problema de saúde pública. Esta doença é caracterizada por ser multifactorial ( varias causas) , de origem genética e metabólica, agravada pela exposição a fenômenos ambientais, culturais, sociais e econômicos, associados a fatores demográficos (sexo, idade, raça) e ao sedentarismo.
QUAL O PROBLEMA DE SER OBESO?
Os problemas mais comuns relacionados à obesidade são os sociais - como dificuldades com assentos, passagens estreitas, transportes públicos, cansaço no andar, ao subir escadas, dificuldades em exercer a rotina de atividades, quer profissionais, quer domésticas.
Já os problemas econômicos estão associados aos altos custos com dietas, coberturas extras em seguros saúde e de vida, dificuldade no vestuário, na profissionalização e em posicionar-se em cargos de visibilidade em empresas.
Os problemas psicológicos são representados por estados depressivos, sentimento de culpa, distúrbios do sistema nervoso, podendo chegar ao isolamento e até ao suicídio. Fatores psicológicos são de grande importância tanto na etiologia como no tratamento da obesidade.
A hiperalimentação pode representar um distúrbio da dinâmica familiar. Pais podem super alimentar seus filhos, como uma compensação para culpas ou como uma manifestação distorcida de amor.
A hiperfagia (excesso de fome) pode ocorrer como uma resposta a situações de stress, seja no trabalho ou no lar. Podendo servir como uma proteção em situações de difícil interação social, conflitos sexuais e exposição à possibilidade de falência em relações interpessoais. Pessoas magras em geral comem quando sentem fome. Já as obesas respondem a uma série de estímulos como horário, odores, etc. Um outro fator que gostaríamos de destacar é a visão errônea, mas que ainda prevalece em muitos ambientes, de que obesidade, principalmente em crianças, é sinal de saúde e prosperidade.
Existem diversas doenças associadas freqüentemente aos obesos. Essas doenças são as principais responsáveis pelo aumento da taxa de mortalidade, pela diminuição da expectativa e qualidade de vida, refletindo-se na principal razão da necessidade do controle de peso.
Doenças como DIABETES, HIPERTENSÃO ARTERIAL, HIPERLIPEMIA (aumento da gordura no sangue), DOENÇA CORONARIANA (angina e infarto) - 70% dos casos de doenças coronarianas estão relacionadas a obesidade, DOENÇAS ARTICULARES, APNÉIA DO SONO, INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA E CARDÍACA, além de diversas formas de CÂNCER (mama, útero, vesícula biliar, etc).
Geralmente todas essas doenças tendem a regredir e até mesmo chegar à cura, após uma intervenção da equipe multidiciplinar para o tratamento da obesidade.
QUAL O TRATAMENTO?
O tratamento da obesidade:
   Dietético nutricional – reeducação alimentar
   Exercício físico
   Psicológico
   Balão Intragástrico
   Medicamentoso ( fora do mercado)
   Cirúrgico

Nenhum tipo de tratamento para obesidade deve ser conduzido isoladamente, o ideal seria a junção do tratamento nutricional com de atividade física, mas hoje em dia esse tratamento não mostra uma manutenção de perda de peso duradoura, pois o índice de desistência do tratamento é grande.
Quando há a união de um dos 2 tratamentos citados acima a chance de sucesso é maior. 
O tratamento esportivo aliado a nutrição esportiva – tem seu papel, porém o paciente necessita de um tempo prolongado para que a perda de peso seja efificiente.
O tratamento com o BALÃO GÁSTRICO – tem se mostrado eficiente, porém o paciente necessita estar disposto a modificações do seu dia a dia para que a perda de peso seja duradoura.
O tratamento cirúrgico aparentemente é o mais efetivo pela grande perda do excesso de peso, mas mesmo assim, há relatos de insucesso e reganho de peso em cerca de 25% dos pacientes que se subteram ao tratamento cirúrgico.


O tratamento nutricional esta incluso em todas as formas para perda de peso, principalmente quando o paciente avaliado possui algum disturbio ou transtorno alimentar – como a  compulsão alimentar.


Por isso não esqueça de consultar um nutricionista antes de iniciar algum tratamento para perda de peso.