terça-feira, 30 de abril de 2013

GANHO DE PESO APÓS RETIRAR O BALÃO GÁSTRICO


GANHO DE PESO APÓS RETIRAR O BALÃO INTRAGÁSTRICO.



Grande parte dos pacientes fazem essa pergunta quando pensam em colocar o Balão intragastrico ( BIG). Essa duvida surge pois o BIG, possui um volume de 400 á 700 ml dentro do estomago, ocupando de 30 até 50 % da capacidade total órgão por 6 meses.

Esse volume faz com que o  paciente se sinta “alimentado” mesmo comendo menos da metade do tamanho da refeição  que se alimentava. E com essa pequena quantidade alimentar a caloria ingerida é reduzida drasticamente.

Observo que muitos pacientes que colocaram o BIG e fizeram todo o acompanhamento nutricional, continuaram perdendo peso ou mantiveram o peso perdido apos retirar o Balão. Isso se deve , pois o paciente que usa o BIG para perda de peso, consegue diferenciar o que é fome de vontade de comer, facilitando o aprendizado da reeducação alimentar.


Ou seja, você vai aprender a comer mais nutrientes e menos calorias com satisfação e saciedade.

Mas de fato, a colocação do BIG pode ter um efeito apenas transitório se não houver um envolvimento do paciente com o nutricionista.  O nutricionista quem vai lhe ajudar a compreender o que é saciedade, alem de organizar um padrão alimentar que você goste e que seja baixo em calorias.

Deve-se lembrar que a recuperação de peso pode ocorrer com qualquer modalidade de tratamento da obesidade (até mesmo nas cirurgias bariátricas) se não houver uma participação ativa do paciente neste processo. Assim, o papel fundamental do acompanhamento nutricional é manter os cuidados necessários para que, neste período, a pessoa tenha condições de emagrecer, reeducar seus hábitos e ganhar mais saúde para que, após a retirada do BIG, o paciente esteja pronto e readaptado para se beneficiar do peso ideal.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

DIETA PARA CIRURGIA BARIATRICA


 1ª fase – Dieta Líquida Restrita (1º ao 7º dia)
- Está proibido o uso de qualquer tipo de açúcar, sendo utilizados adoçantes;
- a quantidade é de 50 ml (1 copinho descartável de café),  a cada 20 minutos, sendo ingerido aos goles, lentamente;
  Alimentos Permitidos:
- água mineral ou filtrada;
- chás claros (ex.: erva-cidreira, camomila, maçã, etc – estão proibidos chás mate e preto);
- água de coco verde (pode ser de caixinha);
- suco de laranja lima coado;
- caldos coados (água do cozimento)
·       ex.: couve, escarola, batata, mandioquinha, cenoura, chuchu, abobrinha, beterraba, etc;
·       carnes magras em geral, ex: peito de frango, coxão duro ou mole, músculo, peixes de água doce);
·       não utilizar temperos industrializados, utilizar pouca quantidade de óleo, pode ser acrescentada pasta de soja (missô).

·       UTILIZAR COADOR DE pano ou nylon.

2ª fase – Dieta Líquida Completa: do 8º ao 14º dia



- utilizar adoçante;
- utilizar peneira fina para coar os líquidos;

Alimentos a serem acrescentados: - chás em geral; café fraco;
- leite desnatado;
- sucos de frutas coados (laranja lima, melão, maçã, pêra, manga, uva, etc) – exceto frutas ácidas (laranja, limão, abacaxi,maracujá); não é permitida a utilização de sucos em pó;
- leite/suco de soja puro ou com sabor de frutas desde que sem a adição de açúcar;
- gelatina dietética (ou light), de qualquer sabor em consistência semi-líquida;
- iogurte batido light;
- caldo de feijão (ervilha, lentilha – qualquer grão), sem gordura, coado.


3ª fase – Dieta Líquida Completa: do 15º ao 21º dia
- utilizar adoçante;
- utilizar peneira para coar;
- 50ml/ 20min.

Alimentos a serem acrescentados: - a sopa, agora deve ser batida no liquidificador sendo coada e permanecendo na consistência líquida (rala);
- o restante é mantido como nas fases anteriores.


4ª fase – Dieta Líquida Completa: do 22º ao 28º dias

- utilizar adoçante;
- utilizar peneira para coar
- 50ml/ 20min.
OBS.: retornar em avaliação nutricional nessa fase

Alimentos a serem acrescentados: - vitamina de leite com fruta coada rala;
- açaí- polpa congelada para fazer suco;
- o restante é mantido como nas fases anteriores.






DIETA PARA CIRURGIA BARIATRICA.



ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL PÓS OP. DE CIR. BARIATRICA. 

O nutricionista prestará toda a orientação necessária para a dieta líquida pós-operatória, sua evolução para a pastosa e, finalmente, sua transição definitiva para a alimentação normal. 
Voce irá aprender a comer pouco volume e boa qualidade, várias vezes ao dia, e optar por alimentos pouco calóricos e com alto teor nutritivo, abandonando hábitos nocivos.

A reeducação alimentar ajudará não só a perder peso, mas também a mantê-lo em patamares adequados por toda a vida. O paciente deve evitar consumir gordura, fritura, doces, e bebidas com gás como refrigerantes e cervejas.


DIETA


1ª fase – Dieta Líquida Restrita (1º ao 7º dia)
- Está proibido o uso de qualquer tipo de açúcar, sendo utilizados adoçantes;
- a quantidade é de 50 ml (1 copinho descartável de café),  a cada 20 minutos, sendo ingerido aos goles, lentamente;
  Alimentos Permitidos:
- água mineral ou filtrada;
- chás claros (ex.: erva-cidreira, camomila, maçã, etc – estão proibidos chás mate e preto);
- água de coco verde (pode ser de caixinha);
- suco de laranja lima coado;
- caldos coados (água do cozimento)
·       ex.: couve, escarola, batata, mandioquinha, cenoura, chuchu, abobrinha, beterraba, etc;
·       carnes magras em geral, ex: peito de frango, coxão duro ou mole, músculo, peixes de água doce);
·       não utilizar temperos industrializados, utilizar pouca quantidade de óleo, pode ser acrescentada pasta de soja (missô).

·       UTILIZAR COADOR DE pano ou nylon.



quarta-feira, 24 de abril de 2013

Saladas para Dieta.


Muitos brasileiros estão acostumados a comer o arroz, o feijão e a carne  e esquecem da tão importante salada. Mas hoje, devido a mídia e as orientações médicas e nutricionais, as saladas tornaram-se indispensável e quase que obrigatório na busca pela qualidade de vida.

Com saladas o cardápio diário, se torna uma alimentação leve, nutritiva e saudável. Além  disso, garantem praticidade e pouco tempo para preparar um prato muito saboroso.

As folhas e vegetais são muito importantes na alimentação e nas dietas, porque são ricos em fibras e estas contribuem para o bom funcionamento do intestino ajudando na digestão.  São fontes de vitaminas e sais minerais que ajudam a manter o nosso organismo em perfeito funcionamento, proporcionando benefícios a saúde.
As vantagens do consumo de folhas e legumes não são facilmente encontradas nos demais alimentos, por isso, é aconselhável a ingestão de vegetais crus, já que o cozimento elimina uma parte dos nutrientes.
O consumo das saladas, principalmente no caso das folhas, é importante para o controle de peso, pois tem gande capacidade de saciedade quando ingeridos em boa quantidade e são pobres em calorias.

Nos períodos de  temperaturas mais elevadas,  a salada passa a ser ainda mais apreciada por se tratar de uma preparação agradável, com alto poder hidratante pela grande quantidade de água presente. A preparação é fácil e de rápida digestão, evita assim a sensação de estômago cheio e moleza pós refeição. A salada é a refeição ideal para quem está a procura de perder alguns quilos extras. Sugerimos o seu consumo como entrada, pois assim ela aumenta a saciedade e  reduz o consumo dos alimentos que engordam mais.

Alguns benefícios do consumo diário das saladas são:

- Elas possuem baixa caloria e com isso contribui para a perda de peso;
-Fornecem  fibras, minerais e vitaminas para o nosso organismo que ajuda no funcionamento do mesmo;
-Possui alto teor de água, por isso hidrata o corpo;
-Exige pouco tempo de preparo, porém uma boa higienização;
- Fácil digestão pelo organismo.
Para torná-la ainda mais saudável, seguem algumas dicas:
- Compre vegetais de época e frescos, pois além de mais baratos eles apresentam uma melhor concentração de nutrientes;
- Procure folhas  inteiras, limpas e sem manchas amarelas;
- Lave bem os vegetais e em seguida deixe-os de molho com hipoclorito por quinze minutos;
- Opte por temperos naturais como sal, ervas, limão e vinagre, pois são menos calóricos e podem acrescentar vitaminas e antioxidantes à receita.
-Prepare e tempere os ingredientes perto da hora de consumí-los. Esta medida é importante para preservar o frescor e os nutrientes da salada.
- Não abuse nos óleos e azeite, apesar de saudáveis eles são bem calóricos;
- Cuidado com os acompanhamentos como  molhos a base de maionese, creme de leite, queijos,etc. Prefira os que são à base de iogurte, mostarda e laranja no lugar da maionese tradicional.


Simples ou mais sofisticadas, as saladas são muito bem vindas para quem está ou não de dieta. Portanto, a ingestão de saladas associada à uma alimentação saudável pode melhorar muito a qualidade de vida.  Use sua criatividade, inove nos ingredientes e abuse das saladas!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

DIFICULDADE DE PERDA DE PESO


Atualmente encontramos vários  fatores que dificultam o  processo de perda de peso e o primeiro passo é reconhecê-los para que o processo tenha sucesso.

Em primeiro lugar, é preciso emagrecer por si mesmo e não para agradar outras pessoas.

Você deve responsabilizar-se por seu emagrecimento e não buscar milagres. Pare de procurar soluções milagrosas, dietas da moda, remédios que prometem emagrecimento sem esforço algum, afinal se emagrecer fosse tão fácil e permitisse métodos milagrosos o mundo não teria a maior parte da sua população acima do peso.
Não culpe o nutricionista, médico, a família etc....  pelo seu não emagrecimento.

Tenha consciência dos seus atos e responsabilize-se por suas escolhas.

Em um contexto ou época em que ser magro é sinônimo de beleza e no qual a ditadura da magreza parece falar mais alto,  cultuar o corpo nunca esteve tão “na moda”, seja por motivos de saúde ou estéticos, e  muitos  vivem constantemente em guerra com a balança e esperam ansiosamente pela próxima  segunda-feira para então iniciar mais uma de tantas maneiras extraordinárias para emagrecer.

Ao adotarmos dietas muito restritivas ou dietas milagrosas,  acabamos sofrendo recaídas. E a cada recaída, ficamos mais longe de nossos hábitos e de nossa meta, e conseqüentemente nossa auto-estima fica mais baixa.

Desta forma inicia-se um ciclo destrutivo: dieta – recaída – ganho de peso – queda da auto estima.

Sendo assim, começamos  a acreditar cada vez menos em nós e até mesmo o regime torna-se  um hábito.

Devemos mudar a forma de pensar e agir,  pensar como magro, colocar a comida em seu devido lugar. Comida é fonte de energia e nutrientes e só isso.  Comida não resolve ansiedade, tristeza, solidão, alegria, etc.

Aprenda a diferenciar fome de vontade de comer ou fome real de fome emocional.

Os episódios de fome insaciável ou “ataques” desesperados aos alimento são bons exemplos de fome emocional, afinal somos seres dotados de um organismo extremamente inteligente que sabe quando é a hora de parar. Portanto, coma devagar para que o cérebro reconheça o momento da alimentação e saiba o momento de interrompê-la.

Nenhum alimento é proibido, nenhum alimento mata por si só. O que mata são os exageros. Não sofra e principalmente não passe fome!
Privando-se de comer alimentos mais  “engordativos” (doces, massas, etc.) a pessoa acaba adquirindo um desejo que fica contido e, na primeira oportunidade que tiver (angústia, raiva, ansiedade) irá comer  não apenas um pouco ou um pedaço daquele alimento, mas exagera na quantidade, ou seja, terá o chamado “compulsão alimentar”.

É neste momento que está o perigo!

Procure um nutricionista especialista em emagrecimento. Faça uma reeducação alimentar, deste modo não haverá alimentos proibidos. Você apenas irá aprender o que cada alimento faz pelo seu organismo e terá a oportunidade de escolher, conscientemente, o que comer.

Tenha uma boa hidratação.  Beba bastante líquidos durante todo o dia. Isso ajuda a manter um bom funcionamento do metabolismo, além de  limpar o organismo de toxinas, hidratar o corpo e a pele.
Pratique atividade física,  além do bem estar que ela te proporciona, facilita o emagrecimento.

Não crie tantas expectativas na magreza, isso pode atrapalhar seu emagrecimento (ex: quando eu for magra arrumarei um namorado), pois se após o emagrecimento  as expectativas não forem  realizadas, provavelmente você voltará a engordar.

E para finalizar, procure o auto conhecimento, aumente sua auto-estima, faça atividades prazerosas. Goste-se e emagreça normalmente.  Não espere para se gostar ou se cuidar quando estiver magra, afinal para se emagrecer é preciso uma boa dose de amor próprio.

Você é muito mais que um simples corpo e sua vida vale muito. Não são alguns quilinhos a mais que vão tirar seu brilho!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

O QUE PRECISO SABER ANTES DA CIRURGIA BARIATRICA.


1 - Existe idade mínima ou máxima para operar?
Desde que haja indicação cirúrgica, seja feita uma boa avaliação clínica, pode-se realizar a cirurgia em adolescentes e idosos. Recomenda-se que seja realizada entre 18 e 65 anos. No ano de 2013 foi liberado a cirurgia de obesidade a partir de 16 anos.
2 - Tenho diabetes, colesterol aumentado e pressão alta, posso operar?
Se você estiver controlando com seu médico clínico, poderá operar. A cirurgia irá te ajudar a melhorar essas patologias.
3 - Tenho pedras na vesícula, posso operar?
Se você tem pedras na vesícula, ela poderá ser retirada durante a cirurgia de tratamento da obesidade.
4 - Tenho hérnia de hiato, posso operar?
A cirurgia de tratamento da obesidade, na maioria das vezes, melhora o refluxo causado pela hérnia de hiato.
5 - Vou operar, há algum preparo na véspera?
Deverá fazer uma dieta líquida 3 dias antes da cirurgia e jejum de 12 horas antes da cirurgia, inclusive de água. No dia da cirurgia, para os homens, são raspados (tricotomia) os pêlos do abdome. Todos recebem, antes da cirurgia uma injeção de anticoagulante no subcutâneo.
6 - Posso apenas colocar o balão no estômago?
Sim. O balão que é colocado dentro do estômago não por cirurgia, mas por endoscopia. O tempo que você poderá permanecer com o balão é limitado, devendo ser retirado após 6 meses. Somente colocar o balão, não faz com que o paciente perca peso definitivamente, sendo necessário acompanhamento clínico e dieta. É  uma ótima alternativa para alguns pacientes.
7 - Como é a alimentação nos 30 primeiros dias?
Sua alimentação nos 30 primeiros dias após a cirurgia, será apenas de líquidos não calóricos; se quiser , poderá usar adoçantes . Deverá tomar pelo menos 2 litros de líquidos por dia incluindo caldos salgados, isso fará com que a urina fique clara, evitando a desidratação e a formação de “pedras“ nos rins. Portanto, a cada 5 minutos, enquanto estiver acordado tome 20 ml (1/2 copinho de café ) de líquidos.
8 - Quando poderei comer normalmente?
Após 1 mês. Sua dieta será orientada gradativamente, passando de líquida à normal (alimentos sólidos ).
Alimentar-se com cuidado, pequenos bocados, bem mastigados e num tempo maior – será indicaado. Você terá de se adaptar ao novo estômago; coloque 3 a 4 colheres de sopa num pires e coma com colher de chá , mastigue bem e aguarde um tempo entre uma colherada e outra , evitando assim o desconforto e a sensação de “estufamento“, náuseas e vômitos . Procure estar calmo e com tempo adequado para realizar uma refeição sem pressa. Não se esqueça: agora com o novo estômago pequeno, não se pode abrir mão da qualidade!
9 - Que remédios deverei tomar após a cirurgia?
Durante os primeiros 30 dias deverá tomar um protetor gástrico, além de um analgésico e eventualmente antibióticos. O uso de complexos vitamínicos e minerais será iniciado a partir de 30 dias, pós cirurgia e será tomado diariamente. Se houver necessidade, poderá tomar 1 ampola intramuscular de vitamina B12, uma vez a cada 6 meses.
10 - Posso comer doces e gorduras?
O uso de alimentos calóricos, doces (pudins, sundaes, milk shake, leite condensado, sorvete, etc) e gorduras poderá lhe causar a chamada “Síndrome de Dumping“ (diarréia, tontura, suor frio, taquicardia e queda da pressão arterial), além de prejudicar a perda de peso.
11 - Posso tomar bebidas alcoólicas e refrigerantes?
Nos primeiros 6 meses você não deve tomar refrigerantes, que devido ao gás lhe causará sensação de mal estar e “estufamento“, além de ocasionar náuseas e vômitos. As bebidas alcoólicas, são absorvidas rapidamente devido a cirurgia, o que além de embebedá-lo mais rapidamente, prejudica muito mais o fígado.
12 - Tenho de usar a faixa? Quando posso fazer sexo, dirigir ou fazer exercícios?
Quando a cirurgia é por via convencional ou aberta, deverá usar a faixa por 60 dias, podendo retirá-la para dormir. Não faça sexo ou dirija antes dos 30 primeiros dias. Não faça esforços físicos vigorosos antes dos primeiros 60 dias após a cirurgia. No entanto poderá caminhar à vontade em superfícies planas.
13 - Meus cabelos podem cair?

Queda de cabelo acontece com freqüência, mas não é permanente, e eles voltam a crescer; assim como também é comum as unhas tornarem–se fracas e a pele ressecada, por algum tempo.
14 - Vou vomitar o tempo todo?
Não. A cirurgia cria uma sensação de “estômago cheio“ e satisfação. Ingerindo-se uma pequena porção de alimentos, fica-se com a sensação de se ter comido uma grande  quantidade. Após a cirurgia, pode-se comer de tudo em pequenas quantidades, porém uma “mordida“ além do necessário causa náuseas e vômitos.
15 - Será que estou perdendo pouco peso?
A perda de peso varia de cada pessoa de maneira diferente. Uns perdem mais no início, outros mantém uma perda menor, mas constante. No entanto esta perda é sempre proporcional ao peso inicial, os mais pesados perdem, logicamente mais peso. Existe uma média de perda de peso, que ao final de 1 ano da cirurgia varia de 30 a 40% do peso inicial.
16 – Quando posso fazer cirurgia plástica?
Nem todos os operados necessitam ou querem fazer cirurgia plástica, mas sempre deve-se aguardar pelo menos 1 ano após a cirurgia da obesidade .

17 -  Posso engravidar?
Sim, desde que você espere 1 ano após a realização da cirurgia da obesidade, e faça uma avaliação prévia com a nossa equipe, assim como acompanhamento paralelo no pré-natal .

Orientações referentes à atividade cotidiana:
Dirigir após 10 dias se sua cirurgia foi laparoscópica e 30 dias se foi convencional.
Relações sexuais após o 10º dia se sua cirurgia foi laparoscópica e após o 30º dia se foi convencional.
Poderá fazer caminhadas leves, sem esforço após 10 dias se for cirurgia laparoscópica, e após 20 dias se for cirurgia convencional.
Subir escada, degrau por degrau em casa.
Passear de carro, como passageiro após no mínimo 7 dias se for cirurgia convencional.
Não carregar nada pesado por 30 dias se for cirurgia convencional, e 10 dias se for cirurgia laparoscópica.
Não pegar crianças no colo por 30 dias se for cirurgia convencional, e 10 dias se for cirurgia laparoscópica.
A realização de esforços antes do período de 30 dias e a não utilização da faixa abdominal aumentam o risco de hérnia incisional, na operação convencional.

terça-feira, 9 de abril de 2013

GASTO ANUAL COM OBESIDADE NO BRASIL


SONO INFLUENCIA OBESIDADE ?


A redução do tempo de sono se tornou um hábito em grandes cidade, graças ao novo padrão da sociedade moderna onde o ritmo acelerado e a tecnologia junto com a iluminação artificial roubam preciosas horas de descanso. Segundo dados da Associação Brasileira do Sono, hoje, um adulto saudável dorme 7 horas por noite, porém, há 50 anos, eram nove.


Dormir bem significa ter melhor rendimento nas atividades, bom humor, prevenir doenças e até mesmo auxiliar na regulação do peso. Indivíduos que possuem sono inadequado apresentam maior prevalência de obesidade. Apesar de não sabermos todos os mecanismos que estão envolvidos nesse processo, sabe-se que as alterações no sono influenciam o apetite, a saciedade e a ingestão alimentar.
A modificação do padrão do sono pode desajustar o sistema endócrino (regulação hormonal), reduzindo a leptina, responsável pela saciedade, e aumentando a grelina, hormônio responsável pela sensação de fome. O maior tempo acordado auxilia no aumento da ingestão de alimentos, pois há maiores possibilidades de refeição no período. Concomitantemente, a privação de sono resulta em cansaço e menor vontade para o gasto energético e prática de atividade física.
Outra consequência é a maior preferência por alimentos mais calóricos, com alta quantidade de carboidratos como doces, biscoitos, salgados e tubérculos ou lanches rápidos. É praticamente um ciclo vicioso, pois a privação de sono além de aumentar a o apetite predispõe ao consumo de alimentos com baixa qualidade nutricional. Portanto, nada melhor do que uma boa noite de sono para cuidar do corpo.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

MOLHO LIGHT PARA SALADA.






Molho Especial para Salada.

Ingredientes:
- ½ xícara de azeite (90g)
- 3 colheres de sopa de mostarda (60g)
- 1 colher de sobremesa de molho shoyu (16g)
- ½ colher de chá de sal (3g)
- 1 colher de chá de pimenta do reino moída (se gostar) (2,1g)
- 1 colher de chá de orégano (1,5g)
- suco de 1/2 limão (30g)
Modo de preparo:
Misture tudo e sirva sobre salada de folhas.
Rendimento: 192g





Molho de Iogurte com Hortelã.

Ingredientes:
- 1 pote de Iogurte desnatado ao natural (185g)
- 1 colher (sopa) de hortelã fresca picada bem miudinho (5,7g)
- meia colher (chá) de pimenta síria ou pimenta do reino (1,05g)
- 1 colher (chá) de azeite
(2,5g)
Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes.
Rendimento: 194g







Molho Japonês.

Ingredientes:
- 4 ou 5 colheres de sopa de vinagre branco ou vinagre de arroz (60g)
- 1 colher de sobremesa de adoçante
- 2 colheres de chá de sal (12g)
- 1 colher de sopa de gergelim branco torrado (8g)
Modo de preparo:
Leve ao fogo uma panela alta as sementes de gergelim. Deixe aquecer e coloque as sementes. Tampe um instantinho, pois elas pulam, como pipoca. Ficam ligeiramente douradas. Faça o molho, misturando o restante dos ingredientes.
Rendimento: 80g

OBESIDADE ALÉM DO EXCESSO DE PESO.



É comum atualmente as pessoas relacionarem a composição corporal como fim estético, onde o excesso de peso, na maioria das vezes, é enquadrado apenas como um aumento da composição corporal, predominado numa quantidade superior de massa adiposa (gordura corporal), com isso a questão saúde acaba não entrando neste parâmetro, consequentemente os riscos em relação ao sobrepeso e a obesidade são muitas vezes esquecidos ou ignorados.

Este artigo tem como finalidade, esclarecer e abordar a obesidade no ponto de vista nutricional, para isso vale lembrar o significado clínico da palavra obesidade: Alteração do estado nutricional, desencadeada pelo excesso de ingestão de alimentos, em geral de alta densidade energética e pelo sedentarismo. Acompanhado por um aumento do número de células adiposas, que é maior quando a obesidade ocorre precocemente (infância), resultando em prejuízos à saúde, riscos que são aumentados progressivamente de acordo com o ganho de peso.

Os principais fatores metabólicos implicados na gênese da obesidade seriam o aumento da lipase lipoprotéica (LPL), que é a enzima chave para a estocagem de lipídios (gordura) no tecido adiposo, que se encontra em maior atividade em pessoas obesas, outro fator seria o hiperinsulinimismo, ou seja, aumento da secreção de insulina desencadeada pelo auto consumo de  alimentos, em especial os carboidratos (açucares), aumentando assim  a hidrólise de triglicerídeos  a glicerol e ácidos graxos livres que entram nas células adiposas e são estocados sob a forma de triglicerídeos (gordura).

A obesidade contribui para uma variedade de doenças que colocam em riso a saúde e compromete a qualidade de vida do indivíduo obeso, que também apresentam maior pretensão de desenvolver o diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, hipertensão e a síndrome plurimetabólica, na qual se caracteriza por um conjunto de sintomas clínicos, como elevação da pressão arterial, aumento da concentração plasmática de triglicerídeos, diminuição dos níveis de HDL (colesterol bom), elevação da concentração plasmática de glicose em jejum; sintomas estes que aumentam ainda mais a probabilidade de doenças coronarianas.

As estratégias de tratamento e redução de peso não são efetivas a curto prazo, sendo um processo contínuo, e mais efetivas se associadas a uma reeducação alimentar, atividade física orientada e medicamentos no caso de patologias. Uma forma possível de reeducação alimentar oferece calorias em pequenas quantidades, levando em conta que esta restrição calórica deverá ser moderada e progressiva para não causar desconforto no paciente e também não acarretar em quadros de hipogligemia (queda de glicose na circulação. As quantidades de proteínas também devem ser suficientes para que a perda de peso ocorra de forma saudável, preservando a massa magra (músculos) e reduzindo a gordura corporal.

Vale ressaltar que quanto maior o tempo de seguimento de uma dieta desbalanceada maior será o risco de desenvolver problemas nutricionias, como carência de vitaminas e minerais, por isso a importância de um acompanhamento nutricional individualizado, já que cada pessoa possuí um biotipo que deve ser respeitado na tentativa de perda de peso.