segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

DESCUBRA OS ALIMENTOS IMPORTANTES PARA REPOR O COLÁGENO


DESCUBRA OS ALIMENTOS IMPORTANTES PARA REPOR O COLÁGENO

O colágeno representa cerca de 25% de toda proteína do organismo humano. Sua função é proporcionar sustentação às células, mantendo-as unidas. É encontrado na pele, nos ossos, nas cartilagens, nos ligamentos e nos tendões. O colágeno é produzido naturalmente no organismo, mas com o avançar da idade o corpo perde 1% de colágeno ao ano resultando no surgimento de rugas, flacidez e aumentando a fragilidade articular e óssea. Para amenizar essa perda, é importante investir em uma reposição por meio da alimentação ou preparações farmacêuticas.
De acordo com o nutricionista esportivo Gabriel Cairo Nunes, da Clínica Health Me Gerenciamento de Peso, a ausência do colágeno pode ser notada a partir do surgimento de dores articulares, tendinites, fragilidade capilar, perda óssea, rugas precoce e unhas enfraquecidas. “Tais sintomas denunciam uma alimentação deficiente em proteínas, vitaminas e minerais. E sem esses nutrientes é natural que ocorra um enfraquecimento muscular e um cansaço por qualquer esforço físico”, explica.
O público feminino é quem mais sofre com a perda de colágeno, pois possui uma quantidade menor dessa proteína no organismo, em comparação aos homens. “Ao atingir a faixa etária dos 45 anos, a mulher sofre uma diminuição na quantidade de fibroblastos, as células responsáveis pela produção de colágeno, que ao lado de outra proteína, a elastina, sustenta a pele”, destaca o nutricionista. 
Além disso, muitos são os fatores que contribuem e aceleram o desgaste da pele, entre eles: a exposição excessiva ao sol, o cigarro, a poluição, a herança genética, as alterações hormonais, a alimentação desequilibrada e o estresse. Por isso, é fundamental modificar os hábitos de vida, investir em uma alimentação saudável e apostar em cremes e tratamentos que ajudam a prolongar a juventude.
Colágeno: em favor da beleza e da saúde
Uma alternativa simples, barata e eficaz para acentuar a produção de colágeno e retardar o processo de envelhecimento é manter uma alimentação balanceada. “O ideal é optar por uma dieta rica em proteínas magras e ômega-3, para estimular a produção de colágeno, além de consumir alimentos que contenham vitamina C, vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício”, aconselha.  
Para esclarecer quais são os alimentos “milagrosos” que ajudam a repor o colágeno no organismo, o nutricionista Gabriel Cairo Nunes lista os mais indicados:
Carnes, ovos, peixes
São fontes de proteínas e de vitaminas B6 e B12. Além disso, são importantes para a flora intestinal agindo no metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos.
Feijão, brócolis e ervilha
É importante consumir folhas verde-escuras como espinafre e outros alimentos como lentilhas, grãos, gema de ovo, fígado bovino e laranja, pois são fontes de ácido fólico. “O ácido fólico é um nutriente muito importante para síntese do RNA e DNA, sendo fundamental na replicação celular”, afirma Nunes.
Cerejas, uvas, soja
Estimulam a renovação celular, pois contêm flavonoides, um potente antioxidante para neutralizar os radicais livres, que são responsáveis pelo envelhecimento celular.
Aveia e leguminosas
São alimentos ricos em silício, um mineral proveniente de vegetais, sendo indicado para auxiliar na manutenção da rigidez celular. A aveia age sobre os músculos, tendões, cartilagens e articulações amenizando dores e outros problemas enfrentados devido à ausência de colágeno.
Vitamina C
É indicado consumir alimentos ricos em vitamina C, pois facilitam a síntese do colágeno. Abuse das frutas cítricas como laranja, acerola, limão e abacaxi.
Frutas vermelhas
São ricas em cianidina e vitamina C, antioxidantes que combatem os radicais livres. Seu consumo favorece as paredes dos vasos sanguíneos da pele, tornando-a mais irrigada e oxigenada. Além disso, as frutas vermelhas previnem o envelhecimento precoce das células, o excesso de oleosidade e a acne.
Suplementação de colágeno
Além de incluir esses alimentos nas refeições, ainda é possível adotar uma suplementação de colágeno em pó ou em cápsulas. “As cápsulas possuem porção reduzida de colágeno. Já a versão em pó é mais concentrada e indicada para fazer a digestão. A pessoa deve ingerir cerca de 20 cápsulas para alcançar a recomendação diária, e na versão em pó, uma colher de sobremesa já basta”, esclarece o nutricionista. 
Porém, melhor mesmo é apostar em uma alimentação balanceada e prática regular de atividade física, aliada à ingestão hídrica para conseguir manter a pele bonita e saudável.


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

OBESIDADE INFANTIL


O tempo gasto frente a TV o computador; bem como a dificuldade de brincar na rua e explorar o corpo também são fatores externos que predispõem à obesidade infantil. De acordo com o especialista Gabriel Cairo Nunes, nutricionista esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso, os pais o procuram, muitas vezes, não para que seus filhos percam peso e sim porque a criança já esta com problemas ortopédicos, de colesterol, diabetes, entre outros.

“Os pais precisam ensinar seus filhos a terem uma educação alimentar, pois muitas crianças não comem verduras porque seus pais não compram porque eles mesmos não comem e, também, se a criança come comida gordurosa, bolacha, salgadinho é porque seus pais compram", comenta.

Além de, interferir na auto-estima da criança, a obesidade infantil aumenta as chances de problemas ortopédicos, infecções respiratórias, provoca diabetes e cirrose hepática, gerada pelo excesso de gordura depositada no fígado. “A criança obesa tem 30% de chances, de permanecer no mesmo peso quando chegar à fase adulta. Isso ocorre porque as células adiposas estão ficando cada vez mais recheadas de gordura”, esclarece o nutricionista Gabriel Cairo Nunes.

Menos fast food e mais frutas

Uma criança que apresenta ser “fofinha” para os pais, pode se tornar um grande problema no futuro. É comprovado que a má alimentação e o sedentarismo favorecem a obesidade infantil. Os pais devem ficar atentos e vigiar o que os pequeninos comem, enquanto jogam vídeo game ou assistem à televisão.

A criança deve fazer uma avaliação com um profissional para verificar como é a sua rotina, que horas ela se alimenta e o que come em cada refeição. A presença de um profissional de nutrição é fundamental para montar um cardápio equilibrado, com os nutrientes necessários para a criança em fase de
crescimento e iniciar a reeducação alimentar.

“Incentive o seu filho a consumir alimentos apropriados para ajudar na fase do crescimento. Encoraje a beber leite desnatado, a ingerir menos sal e aumentar o consumo de grãos e diminuir o açúcar, doces e chocolates. O ideal é oferecer sempre alimentos pobres em gorduras, sem muitos condimentos e molhos, dando preferência para frutas, legumes, verduras e carnes magras, grelhadas, assadas ou cozidas. Essa é uma forma natural de evitar os excessos e os riscos para a saúde.”, ressalta o nutricionista Gabriel Cairo Nunes.

Para a sobremesa, o nutricionista recomenda um doce por semana. Para os outros dias, é melhor oferecer frutas. Já nos lanches da manhã e da tarde, boas opções são os sucos e iogurte acompanhados de uma fruta. Praticar atividade física também é uma alternativa para combater a obesidade. Inscreva o seu filho em algum esporte e estimule a praticar.

Meu filho será obeso?

Cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes obesos enfrentam problemas na escola, isolamento, dificuldades em expressar seus sentimentos e a baixa autoestima. Para mudar essa situação e evitar que o seu filho sofra com a obesidade, fique atenta algumas dicas do nutricionista Gabriel Cairo Nunes e descubra se o seu filho tem predisposição a ser obeso:

- Mamães que ficam acima do peso durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade;

- Fique atenta, as medidas do seu filho. Observe o peso do seu filho ao completar um ano. O correto é o bebê não pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer.

- Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura. Estimule o seu filho a ficar acordado.

- Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV pode ter problemas com a obesidade. Inscreva o seu filho na escola de natação para evitar o sedentarismo.

- Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos.

Fonte: Especialista e nutricionista esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso, Gabriel Cairo Nunes.