sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Faça a dieta dar certo e deixe a compulsão por comida para trás! Confira cinco dicas que vão ajudá-la na missão contra a balança


Tem dias que seguir umadieta parece ser uma missão impossível. Principalmente, se a fome fora de hora bater constantemente. Desta maneira, fica difícil mesmonão burlar o cardápio.
Pensando nisso, a Corpo a Corpo listou cinco dicas que vão ajudar salvar qualquerdieta, ou impulso porcomida. Confira:
1 – Respeite as refeições
Nunca é demais reforçar que a dieta só dá certo se for respeitada e seguida corretamente. Pular refeições, ou anular alguns itens docardápio só tende a piorar o resultado. “O corpo precisa de energia ao longo do dia . Pular uma refeição poder dar a sensação de falta de energia ao organismo . Como consequência, o paciente acaba comendo mais do que deve nas demais refeições”, alerta Gabriel Cairo Nunes, nutricionista esportivo da Clínica HealthMe (SP).
2 – Bateu aquela vontade de doce? Engane o estômago!
Sabe aquela vontadezinha de comer alguma coisa que chega, normalmente, à tarde? Então, esse hábito pode ser evitado já nas refeições ao longo do dia. “Faça uma refeição comalimentos que deem saciedade prolongada (refeições completas). Uma das opções paraburlar essa compulsão são alimentos à base de leite, que além de não possuir muitas calorias, fornecem saciedade”, aponta Nunes.

O especialista também afirma que a mastigação ajuda a aumentar a saciedade. “Mastigue bem e coma devagar. Isso vai fazer com que a saciedade chegue antes de você pensar na sobremesa”, explica o nutricionista.
Além disso, o especialista também indica um cardápio para quem quiser matar a compulsão com alimentos saudáveis: "Opte por 1 fatia de queijo + 1 fatia de goiaba, fatias de maçã ou creme de ricota misturado com doce de laranja. Essesalimentos não deixam de ser doces, porém contêm poucas calorias”, afirma.
3 – Água nelas!
A água é essencial na dieta, pois é naturalmente diurética ehidratante. "A água é uma boa aliada para quem quer evitaros beliscos. O tempo que o líquido permanece no estômago- mesmo que curto - ajuda a fornecer a saciedade, ou seja, engana a fome”, explica Nunes.
4 – Anote seus erros e aprenda com eles
“Sempre oriento meus pacientes a anotar os erros alimentares. Isso faz com que treinem os olhos, percepção e pensem (escolham) antes de pegar o alimento novamente”, afirma o nutricionista. Anotar os erros ajuda a controlar a alimentação e diagnosticar com maior facilidade os momentos de deslizes.
5 – Amenize a ansiedade
A ansiedade é inimiga número um de quem está de dieta. “Pessoas ansiosas normalmente não fazem refeições completas e por essa razão não se sentem saciados e por isso buscamalimentos para suprir a ‘gula’”, explica Nunes.
Portanto, primeiro de tudo, organize a refeição ao inicia-la. “Antes de colocar no prato, olhe tudo o que tem para inserir na refeição. Isso vai fazer com que tenha mais controle sob a vontade dos alimentos engordativos”, aponta o nutricionista.
Outra dica é a de mandar o ócio para o espaço. De acordo com o nutricionista, estar ocioso provoca a ansiedade e assim, também pode correr o risco de aumentar a fome.

Retirado de:
http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/nutricao/5-dicas-para-nao-burlar-a-dieta/2714


terça-feira, 6 de novembro de 2012

CRIANÇA GORDINHA PODE SER SINAL DE PROBLEMA DE SAÚDE


A obesidade infantil atinge 15% das crianças, ocasionando diversos riscos para a saúde. A vida sedentária, falta de exercícios físicos e uma alimentação desequilibrada composta de guloseimas e fast foods são os grandes culpados pelo o ganho de alguns quilinhos. O tempo gasto frente à televisão e o computador; bem como a dificuldade de brincar na rua e explorar o corpo também são fatores externos que predispõem à obesidade infantil.
De acordo com o especialista Gabriel Cairo Nunes, nutricionista esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso, os pais o procuram, muitas vezes, não para que seus filhos percam peso e sim porque a criança já esta com problemas ortopédicos, de colesterol, entre outros.
“Os pais precisam ensinar seus filhos a terem uma educação alimentar, pois muitas crianças não comem verduras porque seus pais não compram, porque eles mesmos não comem e, também, se a criança come comida gordurosa, bolacha, salgadinho é porque seus pais compram",comenta.
Além de interferir na autoestima da criança, a obesidade infantil aumenta as chances de problemas ortopédicos, infecções respiratórias, provoca diabetes e cirrose hepática, gerada pelo excesso de gordura depositada no fígado.
“A criança obesa tem 30% de chances, de permanecer no mesmo peso quando chegar à fase adulta. Isso ocorre porque as células adiposas estão ficando cada vez mais recheadas de gordura”, esclarece o nutricionista Gabriel Cairo Nunes.
Menos fast food e Mais frutas
Uma criança que apresenta ser “fofinha” para os pais, pode se tornar um grande problema no futuro. É comprovado que a má alimentação e o sedentarismo favorecem a obesidade infantil. Os pais devem ficar atentos e vigiar o que os pequeninos comem, enquanto jogam vídeo game ou assistem à televisão. 
A criança deve fazer uma avaliação com um profissional para verificar como é a sua rotina, que horas ela se alimenta e o que come em cada refeição. A presença de um profissional de nutrição é fundamental para montar um cardápio equilibrado, com os nutrientes necessários para a criança em fase de crescimento e iniciar a reeducação alimentar.
“Incentive o seu filho a consumir alimentos apropriados para ajudar na fase do crescimento. Encoraje a beber leite desnatado, a ingerir menos sal e aumentar o consumo de grãos e diminuir o açúcar, doces e chocolates. O ideal é oferecer sempre alimentos pobres em gorduras, sem muitos condimentos e molhos, dando preferência para frutas, legumes, verduras e carnes magras, grelhadas, assadas ou cozidas. Essa é uma forma natural de evitar os excessos e os riscos para a saúde.”, ressalta o nutricionista Gabriel Cairo Nunes.
Para a sobremesa, o nutricionista recomenda um doce por semana. Para os outros dias, é melhor oferecer frutas. Já nos lanches da manhã e da tarde, boas opções são os sucos e iogurte acompanhados de uma fruta. Praticar atividade física também é uma alternativa para combater a obesidade. Inscreva o seu filho em algum esporte e estimule a praticar.
Meu filho será obeso?
Cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes obesos enfrentam problemas na escola, isolamento, dificuldades em expressar seus sentimentos e a baixa autoestima. Para mudar essa situação e evitar que o seu filho sofra com a obesidade, fique atenta algumas dicas do nutricionista Gabriel Cairo Nunes e descubra se o seu filho tem predisposição a ser obeso:
- Mamães que ficam acima do peso durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade;
- Fique atenta, as medidas do seu filho. Observe o peso do seu filho ao completar um ano. O correto é o bebê não pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer.
- Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura. Estimule o seu filho a ficar acordado.
- Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV pode ter problemas com a obesidade. Inscreva o seu filho na escola de natação para evitar o sedentarismo.
- Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos.

Fonte -  Especialista e nutricionista esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso, Gabriel Cairo Nunes.