quarta-feira, 25 de julho de 2012

O que tenho que saber antes da cirurgia da obesidade.



1 - Existe idade mínima ou máxima para operar?
Desde que haja indicação cirúrgica, seja feita uma boa avaliação clínica, pode-se realizar a cirurgia em adolescentes e idosos. Recomenda-se que seja realizada entre 18 e 65 anos .
2 - Tenho diabetes, colesterol aumentado e pressão alta, posso operar?
Se você estiver controlando com seu médico clínico, poderá operar.
3 - Tenho pedras na vesícula, posso operar?
Se você tem pedras na vesícula, ela poderá ser retirada durante a cirurgia de tratamento da obesidade.
4 - Tenho hérnia de hiato, posso operar?
A cirurgia de tratamento da obesidade, na maioria das vezes, melhora o refluxo causado pela hérnia de hiato..
5 - Vou operar, há algum preparo na véspera?
Deverá fazer uma dieta líquida 3 dias antes da cirurgia e jejum de 12 horas antes da cirurgia, inclusive de água. No dia da cirurgia, para os homens, são raspados (tricotomia) os pêlos do abdome. Todos recebem, antes da cirurgia uma injeção de anticoagulante no subcutâneo.
6 - Posso apenas colocar o balão no estômago?
O balão que é colocado dentro do estômago não por cirurgia, mas por endoscopia, não é um tratamento definitivo da obesidade. O tempo que você poderá permanecer com o balão é limitado, devendo ser retirado após 4 a 6 meses. Somente colocar o balão, não faz com que o paciente perca peso definitivamente, sendo necessário acompanhamento clínico e dieta. Pode ser uma boa alternativa para pacientes selecionados.
7 - Como é a alimentação nos 30 primeiros dias?
Sua alimentação nos 30 primeiros dias após a cirurgia, será apenas de líquidos não calóricos; se quiser , poderá usar adoçantes . Deverá tomar pelo menos 2 litros de líquidos por dia incluindo caldos salgados, isso fará com que a urina fique clara, evitando a desidratação e a formação de “pedras“ nos rins. Portanto, a cada 5 minutos, enquanto estiver acordado tome 20 ml (1/2 xícara de café ) de líquidos.
8 - Quando poderei comer normalmente?
Após 1 mês sua dieta será orientada gradativamente, passando de líquida à normal (alimentos sólidos ). Alimentar-se com cuidado, pequenos bocados, bem mastigados e num tempo maior. Você terá de se adaptar ao novo estômago; coloque 3 a 4 colheres de sopa num pires e coma com colher de chá , mastigue bem e aguarde um tempo entre uma colherada e outra , evitando assim o desconforto e a sensação de “estufamento“, náuseas e vômitos . Procure estar calmo e com tempo adequado para realizar uma refeição sem pressa. Não se esqueça: agora com o novo estômago pequeno, não se pode abrir mão da qualidade!
9 - Que remédios deverei tomar após a cirurgia?
Durante os primeiros 30 dias deverá tomar um protetor gástrico, além de um analgésico e eventualmente antibióticos. O uso de complexos vitamínicos e minerais será iniciado a partir de 30 dias, pós cirurgia e será tomado diariamente. Se houver necessidade, poderá tomar 1 ampola intramuscular de vitamina B12, uma vez a cada 6 meses.
10 - Posso comer doces e gorduras?
O uso de alimentos calóricos, doces (pudins, sundaes, milk shake, leite condensado, sorvete, etc) e gorduras poderá lhe causar a chamada “Síndrome de Dumping“ (diarréia, tontura, suor frio, taquicardia e queda da pressão arterial), além de prejudicar a perda de peso.
11 - Posso tomar bebidas alcoólicas e refrigerantes?
Nos primeiros 6 meses você não deve tomar refrigerantes, que devido ao gás lhe causará sensação de mal estar e “estufamento“, além de ocasionar náuseas e vômitos. As bebidas alcoólicas, são absorvidas rapidamente devido a cirurgia, o que além de embebedá-lo mais rapidamente, prejudica muito mais o fígado.
12 - Tenho de usar a faixa? Quando posso fazer sexo, dirigir ou fazer exercícios?
Quando a cirurgia é por via convencional ou aberta, deverá usar a faixa por 60 dias, podendo retirá-la para dormir. Não faça sexo ou dirija antes dos 30 primeiros dias. Não faça esforços físicos vigorosos antes dos primeiros 60 dias após a cirurgia. No entanto poderá caminhar à vontade em superfícies planas.
13 - Meus cabelos podem cair?
Queda de cabelo acontece com freqüência, mas não é permanente, e eles voltam a crescer; assim como também é comum as unhas tornarem–se fracas e a pele ressecada, por algum tempo.
14 - Vou vomitar o tempo todo?
Não. A cirurgia cria uma sensação de “estômago cheio“ e satisfação. Ingerindo-se uma pequena porção de alimentos, fica-se com a sensação de se ter comido uma grande  quantidade. Após a cirurgia, pode-se comer de tudo em pequenas quantidades, porém uma “mordida“ além do necessário causa náuseas e vômitos.
15 - Será que estou perdendo pouco peso?
A perda de peso varia de cada pessoa de maneira diferente. Uns perdem mais no início, outros mantém uma perda menor, mas constante. No entanto esta perda é sempre proporcional ao peso inicial, os mais pesados perdem, logicamente mais peso. Existe uma média de perda de peso, que ao final de 1 ano da cirurgia varia de 30 a 40% do peso inicial.
16 – Quando posso fazer cirurgia plástica?
Nem todos os operados necessitam ou querem fazer cirurgia plástica, mas sempre deve-se aguardar pelo menos 1 ano após a cirurgia da obesidade .

17 -  Posso engravidar?
Sim, desde que você espere 1 ano após a realização da cirurgia da obesidade, e faça uma avaliação prévia com a nossa equipe, assim como acompanhamento paralelo no pré-natal .

Orientações referentes à atividade cotidiana:
Dirigir após 10 dias se sua cirurgia foi laparoscópica e 30 dias se foi convencional.
Relações sexuais após o 10º dia se sua cirurgia foi laparoscópica e após o 30º dia se foi convencional.
Poderá fazer caminhadas leves, sem esforço após 10 dias se for cirurgia laparoscópica, e após 20 dias se for cirurgia convencional.
Subir escada, degrau por degrau em casa.
Passear de carro, como passageiro após no mínimo 7 dias se for cirurgia convencional.
Não carregar nada pesado por 30 dias se for cirurgia convencional, e 10 dias se for cirurgia laparoscópica.
Não pegar crianças no colo por 30 dias se for cirurgia convencional, e 10 dias se for cirurgia laparoscópica.
A realização de esforços antes do período de 30 dias e a não utilização da faixa abdominal aumentam o risco de hérnia incisional, na operação convencional.

terça-feira, 17 de julho de 2012

SOPA PARA PERDER PESO NO INVERNO.


Caldo Para Inverno.

Ingredientes
· 1 peito de frango grande (800 g) ou carne vermelha magra (coxão mole, patinho ou alcatra)
· 2 1/2 litros de água
· 2 cebolas cortadas ao meio
· 2 cenouras grandes em pedaços
· 1 tomate com pele e semente
· 2 talos de salsão
· 1 folha de louro
· 2 hastes de salsinha
· 3 grãos de pimenta-do-reino
· 1 col. (café) de sal

Modo de fazer
Corte o frango em cubos bem pequenos para que solte todos os nutrientes durante o cozimento. Coloque na panela de pressão com a água, a cebola, a cenoura, o tomate, o salsão, o louro, a salsinha, a pimenta, canela e o sal. Tampe a panela e leve ao fogo alto. Quando a válvula começar a apitar, cozinhe por mais 8 minutos. Desligue o fogo e deixe esfriar com a panela tampada. Retire o frango e guarde. Passe o caldo por uma peneira fina pressionando os legumes cozidos com uma concha. Distribua o caldo coado em cinco potes higienizados (cerca de 300 ml cada um) e congele. Use uma porção para preparar uma sopa diferente a cada dia. Deixe para ajustar o sal na finalização da sopa.

· Tempo de preparo: 20 minutos (+ o tempo de cozimento)

· Rende: 5 porções (300 ml cada uma)

· Calorias: 35

· Sugestão: se você gosta da sopa grossinha, bata os legumes com o caldo.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Dieta para balão intragástrico


Esse material é apenas para orientar os pacientes que já passaram em consulta com nossa equipe, cada paciente deve procurar seu nutricionista para melhores esclarecimentos.



Exemplo da dieta após colocação do Balão Intragástrico:

Café da  manhã: 1 fatia de pão de forma com requeijão light

Lanche da manhã: ½ fruta ( maça, pera, mamao papaya).

Almoço:
Arroz 1 colher de sopa
Feijão 1 colher de sopa
Legumes ou verduras cozidas  1 colher de sopa
Carne/ frango/ peixe 1 palma da mão

Lanche da tarde:
1 fruta ou 200 ml de suco de soja ou 2 bolachas agua e sal.

Jantar :
Arroz 1 colher de sopa
Feijão 1 colher de sopa
Legumes ou verduras cozidas  1 colher de sopa
Carne/ frango/ peixe 1 palma da mão



Em todas as fases do tratamento com o Balão, o paciente pode apresentar, azia, vômitos, eructações e mal hálito. Isso se dá pela rápida ingestão dos alimentos ou ingestão de grande quantidade de alimentos. Quando isso acontecer o ideal seria que o paciente voltasse a dieta de consistência liquida com volume fracionado ( exemplo 100 ml a cada hora) .












terça-feira, 3 de julho de 2012

METADE DOS OBESOS QUE REDUZEM O ESTÔMAGO VOLTA A ENGORDAR.



Médicos explicam quais pessoas podem fazer a cirurgia bariátrica. Veja os principais procedimentos e os prós e contras deles 


Metade das pessoas obesas que fazem redução de estômago volta a engordar parcialmente, e 5% ganham todo o peso de novo. Por isso, não adianta apenas se submeter à cirurgia bariátrica: é preciso mudar de hábitos e manter uma reeducação alimentar para o resto da vida.
A operação também deve ser a última alternativa para quem precisa emagrecer – seja por obesidade mórbida ou por doenças associadas ao excesso de peso. Ao contrário do que muita gente pensa, o estômago de indivíduos gordos não é maior nem mais elástico que o dos magros.
Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern e o cirurgião bariátrico Marco Aurélio Santo, a redução de estômago não faz milagres e envolve riscos, além de eventuais complicações no pós-operatório, como todo procedimento de alta complexidade.
Após a cirurgia, estudos apontam uma perda média de 60% do peso original, que costuma ocorrer em até um ano e meio. A pessoa passa a sentir menos fome, pois a operação mexe com hormônios como a grelina, que regula essa vontade de comer. Em 85% dos casos, quem tem diabetes tipo 2 também deixa de manifestar a doença.


Esse tipo de operação é praticado no Brasil há 20 anos, e cada vez mais há pacientes que passam por ele – o país já é o segundo no mundo em número de pacientes.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, 60 mil procedimentos foram realizados em 2010 no país, um aumento de 33% em relação a 2009. Desse total, 35% foram por videolaparoscopia, que é menos invasiva (com 5 ou 6 incisões milimétricas no abdômen) e já coberta pelos planos de saúde. No Sistema Único de Saúde (SUS), geralmente é feita a cirurgia aberta, que faz um corte maior na barriga.
Tipos de cirurgia e consequências
Há basicamente três tipos de bariátrica: a que apenas reduz o estômago, a que diminui e modifica um pouco o curso do intestino e a que reduz e altera muito o curso intestinal. Esse desvio permite que o intestino absorva menos gordura, além de estimular a produção de hormônios que diminuem a fome e melhoram a diabetes.

Nas primeiras duas ou três semanas, o paciente deve bebericar, a cada meia hora, cerca de 100 ml de líquidos, como água, chá, gelatina, água de coco, isotônico e caldos caseiros de carne e frango, sem resíduos. Passada essa fase, entram pequenas quantidades de macarrão, carne moída, purê e outros alimentos pastosos.
Os médicos destacaram alguns possíveis efeitos da operação, como anemia, perda de cabelo e gases. Também pode ocorrer o chamado "dumping", um mal-estar quando é ingerido muito líquido ou alimento de uma vez só. Por isso, é preciso engolir em pequenos goles e mastigar bem a comida. Além disso, a quantidade de água consumida deve ser suficiente para deixar o xixi bem clarinho, destacou Halpern.
Ter sucesso na cirurgia bariátrica significa, após 5 anos, ter perdido pelo menos metade do excesso de peso. Por exemplo, uma pessoa de 100 kg cujo patamar ideal é 60 kg precisa estar com até 80 kg. Para indivíduos com índice de massa corporal (IMC) entre 35 e 40, o sucesso é de 90%. Para IMCs maiores, a taxa cai para 70%. 
É importante tomar cuidado especial com os carboidratos (pães, massas e doces), que são facilmente absorvidos e digeridos, mesmo pelos operados. Gorduras e proteínas também devem ser evitadas.


As complicações mais graves dessa cirurgia são os sangramentos (2% dos casos), infecções, vazamentos de costuras, embolia pulmonar e hérnias. Também pode haver obstrução intestinal, mesmo depois de muito tempo da operação.
Durante pelo menos 18 meses, é possível ficar com sobras de pele. Esse é o prazo para perder peso e fazer uma cirurgia plástica.
Para realizar a bariátrica, certifique-se de que seu médico é um cirurgião com formação específica e verifique se a equipe dele inclui endocrinologista, nutrólogo ou nutricionista e psiquiatra ou psicólogo.
No hospital, são necessários um anestesista, um fisioterapeuta e uma equipe de enfermagem. O hospital também precisa ter uma unidade de terapia intensiva (UTI) para eventuais emergências.
Outros cuidados
- Precisa haver a compreensão do paciente e dos familiares sobre os riscos da cirurgia e também mudança de hábitos
- O acompanhamento pós-operatório deve ser feito com uma equipe multidisciplinar, a longo prazo
- A cirurgia não é milagrosa: a obesidade é uma doença crônica e deve ser controlada a vida inteira
Dados brasileiros
- Segundo o IBGE, até 2010 havia 12,5% dos homens adultos com obesidade e 16,9% das mulheres
- A incidência é maior entre homens de 45 a 54 anos e mulheres de 55 a 64 anos
- O excesso de peso e a obesidade atingem de duas a três vezes mais homens de maior renda, em áreas urbanas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste
Possíveis consequências da cirurgia
- Fraqueza
- Anemia
- Queda de cabelo
- Dificuldade para ingerir grandes quantidades de líquido e comida
- Excesso de pele, que pode ser corrigido com cirurgia plástica





Assista aos vídeos: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/02/metade-dos-obesos-que-reduzem-o-estomago-volta-engordar.html

Autor: Redação 
Fonte: G1 - Bem Estar