domingo, 25 de setembro de 2011

Como você está se alimentando?

Adicionar legenda

EMAGRECIMENTO RÁPIDO.


Você sabe por que as dietas milagrosas prometem emagrecimento rápido?
Às vezes dietas milagrosas podem até promover o emagrecimento, a perda de peso visível na balança, porém na grande maioria ou para falar a verdade, em todas às vezes à recuperação de peso é proporcional a perda, e se feitas muitas vezes, esse ganho pode superá-la. Mas por quê? 
Primeiramente, porque ao insistir em dietas restritivas nosso corpo entende que estamos colocando menos combustível para dentro e que assim precisa trabalhar menos, onde acaba ocorrendo à queda do metabolismo. Quando voltamos a comer, o corpo entende que como esta recebendo uma oferta maior de energia é necessário armazená-la, por não saber quando irá ter alimento novamente (é o instinto de sobrevivência, herança de nosso ancestrais), por isso é preciso alimentar-se de 3 em 3 horas, para passar a informação correta para  o corpo. 
Explicando de outra forma: com uma alimentação restrita, ou seja, a ingestão calórica bem inferior à necessidade diária, os estoques de glicogênio (forma na qual o corpo armazena carboidrato – para ter energia durante as atividades) ficam muito baixos ou vazios, o que traz a falsa impressão de perda de peso rápida.  Como nesses estoques, para cada grama de Carboidrato, o corpo armazena três gramas de água, em uma alimentação correta, balanceada e equilibrada esses estoques estão preenchidos, por isso da variação de peso quando se volta a alimentar-se corretamente. Em outras palavras, as “dietas milagrosas” não fazem você perder peso, e sim desidratar. Além disto, dietas muito restritas fazem com que nosso corpo utilize também massa muscular para produção de energia, ocorrendo perda de músculo em longo prazo. Dessa forma as dietinhas famosas irão resultar em flacidez e rugas. E no final disto quanto de saúde você ganhou?
Tente buscar na memória dias nos quais se alimentou corretamente e praticou atividades físicas e diárias. E compare com os dias das dietas “maravilhosas”, veja a diferença no rendimento durante a prática das atividades, no aparecimento de dores de cabeça, prisão de ventre, tontura, desânimo, mal-estar, falta de atenção, sonolência, preguiça e claro as compulsões alimentares decorrentes de tantas restrições, compulsões essas principalmente por alimentos mais calóricos como doces e frituras. 
O fato é que, dietas milagrosas não existem, são necessárias disposição e orientação profissional para desenvolver uma mudança de hábitos que levem a um resultado duradouro e que proporcionem melhorias na sua saúde.  

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

COMPULSÃO POR DOCES.



© Equipe Editorial Bibliomed
Compulsão por Doces: o que fazer para evitar?
O consumo compulsivo de doces está ligado a problemas psíquicos e orgânicos. Esta é a conclusão de especialistas em nutrição, que se basearam em pesquisas e entrevistas com mulheres, que tem uma vontade quase irresistível de comer doces. Estes especialistas verificaram que a voracidade por bombons pode ser tão doentia quanto à dependência do álcool ou drogas.
A ingestão de doces geralmente é para compensar algum problema ou melhorar o humor de quem sofre da compulsão. Mas, depois, irremediavelmente, os devoradores de doces começam a ter pesadelos com a balança. É natural. Nas últimas décadas as pessoas seguem padrões de beleza que as obrigam a desejar um corpo esguio e perfeitamente modelado.
Nos consultórios as queixas são conhecidas. Se a pessoa foi gorda, o consumo de doces é seguido de complexo de culpa e de recriminações sobre a falta de força de vontade.
Como muitas pessoas, com transtornos alimentares, parecem também sofrer de depressões, alguns pesquisadores acreditam que pode haver uma relação entre estes problemas. Eles afirmam que a compulsão pode ser uma adaptação do organismo para suprir a deficiência de serotonina, um dos neurotransmissores responsáveis pela comunicação entre os neurônios.
Estudos recentes mostraram que as pessoas que sofrem de um desequilíbrio no sistema Serotonina/Noradrenalina, têm uma disfunção alimentar ligada a distúrbios psiquiátricos. A serotonina também interfere no estado de humor e na sonolência; quando há uma diminuição dessa substância no cérebro, a pessoa sente necessidade de ingerir açúcar.
Mas é possível comer sem culpa, desde que haja um mínimo de autodisciplina. Todo mundo sabe que o regime ideal requer um pouco de cada alimento, como as verduras, carnes, frutas, legumes e cereais.
A alimentação ideal deve ter 55% de carboidratos, 30% de gorduras e 15% de proteínas. Com esta proporção, os carboidratos ou açúcares deixam de ser os grandes vilões e os culpados pela cintura grossa.
Assim, quando alguém devora um bolo ou um sorvete de creme não vai ganhar uns quilinhos apenas por causa do açúcar, mas também pela manteiga, leite e creme da mistura.
Segundo nutricionistas, é uma maneira de compensar um hábito introduzido desde a infância: as mães costumam adoçar o leite das mamadeiras; quando a criança é bem comportada, ganha um refrigerante; à partir da adolescência, os namorados se presenteiam com bombons. O doce adquire assim, um significado afetivo na maioria das famílias. E ao haver uma carência de afeto, a compensação pode ser buscada no próprio doce.
Uma manobra interessante é a pessoa tentar ingerir mais vegetais, como os espargos, que diminuem esta vontade de atacar a geladeira. Quem tem uma vontade incontrolável de comer doces e não é diabético, pode optar por compotas de frutas ou outros doces sem gordura.
O importante é driblar esta vontade, com frutas, doces dietéticos, exercícios físicos que aumentam a serotonina, dando sensação de bem estar. Porém, quando a situação for difícil de contornar, um profissional especializado, como um psiquiatra, pode ser de ajuda para o paciente, para o tratamento de distúrbios da ansiedade que podem estar associados a este quadro.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

VICTOZA, milagre para emagrecer ??????????

PARECE MILAGRE! É com esse título que a capa da revista Veja do dia 07/09/2011 anunciou o Victoza, um remédio para diabetes que pode revolucionar os tratamentos de emagrecimento.



Victoza emagrece? Victoza bula


Um novo remédio que pode emagrecer de 7 a 12 quilos em 5 meses, sem grandes esforços e efeitos colaterais. Essa é a promessa do Victoza, de acordo com Veja. Aliás, não se trata de mera promessa, pois os resultados já apareceram!


Confira algumas informações sobre o Victoza:

• Diferentemente de outros inibidores de apetite, não causa irritação ou insônia;
• Victoza é a marca. O nome real do medicamento é liraglutida ou liraglutídeo;
• O fabricante é o laboratório dinamarquês Novo Nordisk;
• Évendido na Europa e nos Estados Unidos desde 2009 e 2010, respectivamente;
• A real indicação do Victoza é para diabetes tipo-2, mas vem mostrando grandes resultados no emagrecimento;
• O uso do Victoza, é possível emagrecer mesmo sem uma dieta rigorosa ou prática regular de exercícios físicos;
• No entanto, o medicamento ainda está sendo estudado e, no caso de utilização como emagrecedor, nem todos os efeitos colaterais ainda são conhecidos. Então, o Victoza só é recomendado para obesos que já esgotaram todas as outras possibilidades de tratamento (dieta de Beverly Hills, Atkins, da sopa, da Lua, do tipo sanguíneo etc.);
• O Victoza, sozinho, pode promover a perda de 800 calorias por dia.

Victoza emagrece quantos quilos?

A simulação a seguir é com base em um tratamento de 5 meses, em um paciente que usa manequim (tamanho da calça) 48:

Tomando apenas o remédio:
• novo tamanho da calça: 44
• perda de peso: 7 quilos
• queda de risco de derrame e infarto: 3%
• queda na taxa de pressão arterial: 5%

Remédio + dieta equilibrada:
• novo tamanho da calça: 40
• perda de peso: 10 quilos
• queda de risco de derrame e infarto: 5%
• queda na taxa de pressão arterial: 10%

Remédio + dieta equilibrada + ginástica*:
• novo tamanho da calça: 38 a 40
• perda de peso: 12 quilos
• queda de risco de derrame e infarto: 6%
• queda na taxa de pressão arterial: 12%

* uma hora por dia de exercícios aeróbicos, como a corrida

O Victoza é mais eficaz que os outros emagrecedores?

Segundo a reportagem de Veja, a liraglutida tem proporcionado mais perda de peso que os inibidores de apetite habituais. Em comparação com a sibutramina, o mais famoso deles, a redução de peso é cerca de 50% maior. Além disso, a liraglutida pode ser utilizada por uma gama mais ampla de pacientes.

Efeitos colaterais do Victoza

Segundo pesquisas, 40% dos pacientes tiveram náusea, 17% tiveram vômitos e 18,7% tiveram diarréia. Os efeitos passam geralmente em seis semanas.

Também há indícios de que a liraglutida pode estar relacionada a casos de câncer no pâncreas.


Victoza - contra indicações

• Pessoas com hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.
• Pessoas com diabetes tipo 1 ou com cetoacidose diabética.
• Crianças, pois não se sabe quais os efeitos que ele pode causar nelas.
• Pessoas que sofrem de Neoplasia Endócrina Múltipla tipo 2.

Victoza - como age

A liraglutida (Victoza) tem efeito semelhante - só que mais potente - que o hormônio GLP-1, produzido pelo nosso organismo e que está associado à sensação de saciedade e produção de insulina.

Enquanto o GLP-1 tem efeito de apenas 3 minutos, o GLP-1 sintético (Victoza) age por 24 horas. O resultado é justamente a sensação de saciedade por mais tempo, o que leva a uma redução de 40% no consumo de calorias.

Como o Victoza está relacionado exclusivamente à sensação de saciedade, pode ocorrer o chamado efeito-sanfona (engordar novamente), caso o paciente pare de tomar e volte a comer além da conta. No entanto, a melhor forma de esclarecer essa questão é consultando um médico.

Victoza - posologia

Como seu efeito se estende por 24 horas, o Victoza deve ser tomado uma vez por dia. A administração é feita por uma injeção com uma agulha de 6 milímetros de comprimento e menos de 1 milímetro de largura acoplada a uma canula de 16 de centímetros de comprimento e largura de uma caneta.

Victoza - onde comprar

O Victoza pode ser comprado na maioria das farmácias. No entanto, sua venda só acontece mediante apresentação de receita médica. A boa notícia é que, apesar de ser um remédio para diabetes, vários médicos já vêm receitando o Victoza no tratamento para emagrecimento.

Victoza - preço

O conjunto Victoza de solução injetável refrigerado 6mg c/ 2 sistemas de aplicação custa em torno de R$ 400,00.

Victoza - Anvisa

Graças ao sucesso - justificável - do Victoza, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) teve que tomar providências para frear a sua venda indiscriminada. Pela determinação RDC 96/2008, o medicamento, como já dito só pode ser vendido sob prescrição médica.