segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

SOU OBESO MÓRBIDO???

Responder a essa pergunta pode lhe dar a coragem que você precisa para dar o primeiro passo. Veja abaixo as ferramentas, incluindo uma tabela do peso corporal ideal, que você pode usar para determinar se está morbidamente obeso e se é um candidato em potencial para a cirurgia bariátrica.
Há diversos critérios na área médica aceitos para definir a obesidade mórbida. É provável que você seja morbidamente obeso se:

Se você estiver mais de 50 kg acima de seu peso corporal ideal.

Tiver um Índice de Massa Corporal (IMC) de mais de 40 kg/m2.

SIM VOCÊ POSSUI OBESIDADE MÓRBIDA.

Para saber qual seu IMC acesse: http://www.ultranutri.com.br/imc.html

sábado, 29 de janeiro de 2011

CALCULO PARA METABOLISMO

PESQUISADORES DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DESENVOLVERAM NOVA FÓRMULA PARA AVALIAR O GASTO ENERGÉTICO DE PACIENTES OBESOS.

PARA SABER MAIS - ACESSEM:

http://www.nutritotal.com.br/notas_noticias/index.php?acao=bu&id=486
VALE A PENA CONFERIR.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Europa contra Obesidade

Na Europa - 49 associações de especialistas em obesidade e de pacientes obesos divulgaram o lançamento da campanha “5-10 para uma Europa mais Saudável!” O objetivo é ajudar as pessoas com sobrepeso a perder de 5 a 10% do peso corporal, para melhorar a saúde e a qualidade de vida.

Se você achou pouco, saiba que os especialistas afirmam que é necessário tratar o sobrepeso antes que se transforme em obesidade, e que perder de 5 a 10% do peso traz benefícios muito importantes para a saúde. Desse modo, explicam, é possível reduzir em 58% a incidência de diabetes; e em 48% (homens) ou 40% (mulheres) o risco de doenças cardiovasculares. Mais: reduz em 50% a chance de desenvolver osteoartrite nos joelhos.

Um Milhão de Assinaturas

Além da campanha para motivar a perda de peso, duas outras iniciativas estão a caminho: recolher um milhão de assinaturas para que os governos da União Europeia garantam o apoio necessário aos cidadãos para que alcancem a meta de emagrecimento e uma campanha informativa online sobre o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), que permite aferir se estamos dentro ou fora do padrão saudável.

Colaboram com a campanha a Sociedade Espanhola para o Estudo da Obesidade, a Associação Espanhola de Enfermagem em Cardiologia, a Sociedade Espanhola de Cardiologia e a Fundação Espanhola do Coração.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

CALORIAS CONSUMIDAS A CADA HORA DE ATIVIDADE FEITA

Balé – 550 Calorias
Basquetebol – 600 Calorias
Bicicleta ergomêtrica – 250 Calorias
Boxe – 800 Calorias
Caminhada – 320 Calorias
Ciclismo – 490 Calorias
Ciclismo (corrida) – 730 Calorias
Circuit-training – 750 Calorias
Corrida (12Km/h) – 900 Calorias
Corrida (8Km/h) – 530 Calorias
Esgrima – 500 Calorias
Esqui – 510 Calorias
Futebol – 660 Calorias
Halterofilismo – 500 Calorias
Handebol – 530 Calorias
Judô – 800 Calorias
Natação (crowl/peito) – 660 Calorias
Passear de bicicleta – 300 Calorias
Pólo aquático – 620 Calorias
Remo – 600 Calorias
Rúgb – 630 Calorias
Squash – 720 Calorias
Tênis – 500 Calorias
Tênis de mesa – 310 Calorias
Vôlei – 500 Calorias
Dormir – 65 Calorias
Andar Devagar – 200 Calorias
Comer – 105 Calorias
Cortar Lenha – 1.200 Calorias
Cozinhar – 190 Calorias
Dançar Lento – 220 Calorias
Dar aula – 220 Calorias
Datilografar – 115 Calorias
Descansar deitado – 77 Calorias
Descansar sentado – 100 Calorias
Jogar Baralho – 105 Calorias
Limpar a casa – 260 Calorias
Passar Roupa – 140 Calorias
Pedreiro – 440 Calorias
Relação Sexual – 700 Calorias
Subir escadas – 1.100 Calorias
Tocar instrumentos – 180 Calorias
Trabalhar em pé – 115 Calorias
Trabalho de escritório – 230 Calorias
Trabalho no campo – 500 Calorias
Tricotar – 110 Calorias

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Metade dos brasileiros não casaria com gordo, diz estudo

OBESIDADE X CASAMENTO.

http://www.destakjornal.com.br/readContent.aspx?id=14,78346

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

ARROZ PARA CONTROLE DO PESO

Esta é uma boa notícia, que interessa a nós, brasileiros, adeptos da dupla arroz/feijão: pesquisa norte-americana publicada na revista Nutrition Today revela que o consumo de uma porção de arroz diariamente melhora a qualidade nutricional e reduz o risco de obesidade - e também o de hipertensão e síndrome metabólica.

O estudo mostrou que pessoas entre 19 e 50 anos que consumiam arroz com frequência tinham menos propensão a excesso de peso ou obesidade. Mais: apresentavam 34% menos chances de desenvolver hipertensão; 27% menos probabilidade de aumento na circunferência abdominal e 21% menos chances de desenvolver síndrome metabólica.

Analisando dados de 1999 a 2004 do National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) sobre a dieta de mais de 25 mil crianças e adultos, o estudo concluiu que aqueles que consumiam arroz regularmente apresentavam elevadas quantidades de diversos nutrientes essenciais: ácido fólico, diversas vitaminas do complexo B, potássio, vitamina A e fibras.

Menos Doenças Crônicas
O que é ainda melhor: os habitués de uma boa porção de arroz na sua dieta diária apresentaram menos gordura corporal, além de consumirem mais grãos, legumes e frutas. Pesquisa anterior do NHANES sobre o assunto mostrou que os hábitos alimentares dos que consumiam arroz eram mais coerentes com as recomendações dos nutricionistas, ou seja, mais saudáveis.

Segundo os pesquisadores, adotando dietas saudáveis as pessoas apresentam menos riscos de desenvolver doenças crônicas. Segundo Julie Upton, uma das autoras do estudo, “comer uma porção de arroz, integral ou branco, é uma maneira simples e agradável de melhorar a alimentação e ter um risco menor de desenvolver doenças. O arroz é pobre em calorias, rico em nutrientes e é saboroso. Além disso, ele combina bem com outros alimentos saudáveis como feijão, verduras e proteínas magras, ficando mais fácil seguir as recomendações nutricionais”.